Quem sou eu

Minha foto
Maricá, Rio de Janeiro, Brazil

Botão Twitter Seguir

Total de visualizações de página

Impostômetro

Conversor de Moedas

CoinMarkertCap

Pesquisa de Busca Google

Translate

quarta-feira, 8 de julho de 2020

Caixa libera saque dos R$ 600 para novo grupo

Caros Leitores;


A Caixa libera nesta quarta-feira (8) o saque da primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 para mais um grupo de beneficiários. Poderão retirar o dinheiro agora os nascidos em março que tiveram o auxílio depositado em poupança digital em 16 de junho.

O pagamento do auxílio emergencial segue dois calendários diferentes. Primeiro, os depósitos são feitos em poupança digital, e o dinheiro só pode ser usado para pagamento de boletos e compras online, por exemplo (não pode ser sacado diretamente). 

Em um segundo calendário, o dinheiro é liberado para saque e transferência de acordo com o mês de aniversário. Quem pode retirar e transferir o dinheiro a partir de hoje são os nascidos em março. Amanhã (9), será a vez dos aniversariantes de abril. O calendário de saque segue até o dia 18 de julho.

Auxílio emergencial de R$ 600 3º lote de aprovados


Fonte: Caixa Econômica Federal


Fonte: UOL Economia / 08-07-2020
https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2020/07/08/auxilio-emergencial-r-600-saque-terceiro-lote.htm?utm_source=chrome&utm_medium=webalert&utm_campaign=economia&cmpid=copiaecola
Obrigado pela sua visita e volte sempre!

sexta-feira, 3 de julho de 2020

Tesla ultrapassa a Toyota como a montadora mais valiosa do mundo

Caros Leitores;

A Tesla Inc. substituiu a Toyota Motor Corp. como a montadora mais valiosa do mundo, ressaltando o entusiasmo dos investidores por uma empresa que tenta transformar um setor que depende de motores de combustão interna há mais de 130 anos .A Tesla Inc. substituiu a Toyota Motor Corp. como a montadora mais valiosa do mundo, ressaltando o entusiasmo dos investidores por uma empresa que tenta transformar um setor que depende de motores de combustão interna há mais de 130 anos .

As ações da Tesla, que mais do que dobraram desde o início do ano, subiram até 3,5% nas negociações intradia na quarta-feira, dando uma capitalização de mercado de US $ 207,2 bilhões, superando os US $ 201,9 bilhões da Toyota.

















O CEO Elon Musk ignorou ou violou muitas das regras e normas estabelecidas da indústria automobilística nos 10 anos desde que ele publicou a Tesla, vendendo carros on-line e montando veículos na Califórnia de alto custo. Mas, embora o valor de sua empresa tenha subido, ainda existe um abismo na escala de sua empresa e dos maiores fabricantes de automóveis do mundo.


A Tesla produziu 103.000 veículos no primeiro trimestre, ou cerca de 4% dos quase 2,4 milhões fabricados pela Toyota, que construiu sua marca com acessibilidade e confiabilidade apoiadas por inovações na fabricação em larga escala.

A Tesla se tornou a segunda montadora mais valiosa do mundo em janeiro, quando superou a Volkswagen AG . Agora vale mais que o dobro do gigante alemão.
Depois de abrir caminho para veículos a gás-elétricos com o híbrido Prius, a Toyota estava atrasada para mudar para automóveis totalmente elétricos e apostou pesadamente em células a combustível de hidrogênio. A empresa está agora fazendo uma série de investimentos de alto nível em veículos elétricos e carros autônomos. A fabricante previu uma queda de 80% no lucro este ano e espera que isso leve até o primeiro semestre do ano que vem antes que o mercado de automóveis se recupere para níveis pré-pandêmicos.
A avaliação de mercado da Toyota inclui os 14,3% de ações que a própria Toyota detém como ações em tesouraria, no valor de cerca de US $ 30 bilhões. A Tesla não possui ações em tesouraria, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO


Fonte: Blomberg  /   /  01-07-2020

Obrigado pela sua visita e volte sempre!

terça-feira, 30 de junho de 2020

Pequim deseja se tornar em um núcleo de inovação em blockchain até 2022

Caros Leitores;











Pequim deseja usar a tecnologia blockchain em todos os âmbitos possíveis como parte de seu plano de ação até 2022 (Imagem: Unsplash/@zhangkaiyv)

Pequim deseja se tornar em um núcleo de inovação em blockchain nos próximos dois anos, integrando o desenvolvimento econômico da cidade à nova tecnologia.
No dia 18 de junho, o governo municipal anunciou uma nova iniciativa, chamada “Plano de Ação de Pequim para o Desenvolvimento de Inovação em Blockchain (2020-2022)”, em que declara a ambição da capital chinesa em se tornar uma das primeiras cidades no país a ser completamente integrada a aplicações de blockchain.
A iniciativa também menciona que apresentará um fundo especial para investir em projetos de blockchain e apoiá-los para que se tornem negociáveis em bolsa — tudo como parte de um plano para transformar Pequim em um núcleo de blockchain.
Segundo o anúncio, o governo de Pequim também planeja apoiar a pesquisa e o desenvolvimento de blockchains, fomentar que agências governamentais e empresas de serviços financeiros adotem a tecnologia para a verificação e o compartilhamento de dados, além de impulsionar integrações com os processos de construção de infraestrutura e serviços públicos da cidade.
“Até 2022, Pequim se tornará um centro importante de inovação da tecnologia blockchain, de demonstração de aplicações, de desenvolvimento industrial e de talentos inovadores, tomando a liderança em formar o ‘Plano Pequim’ para o desenvolvimento econômico e social possível com o uso do blockchain”, afirmou o governo em um anúncio.
Pequim é uma das poucas cidades chinesas que anunciou planos de se tornar em um centro para inovação de blockchain.
A cidade de Xiong’An — que está sendo criada do zero como parte da visão do presidente chinês Xi Jinping em criar uma cidade inteligente, repleta das tecnologias mais recentes — já integrou a tecnologia na construção de infraestrutura e em outras iniciativas governamentais.
Hainan também foi considerado como uma das províncias mais favoráveis a blockchain na China, atraindo corretoras, como Huobi e OKCoin, para a operação de suas sedes na cidade.“Até 2022, Pequim se tornará um centro importante de inovação da tecnologia blockchain, de demonstração de aplicações, de desenvolvimento industrial e de talentos inovadores, tomando a liderança em formar o ‘Plano Pequim’ para o desenvolvimento econômico e social possível com o uso do blockchain”, afirmou o governo em um anúncio.
Pequim é uma das poucas cidades chinesas que anunciou planos de se tornar em um centro para inovação de blockchain.
A cidade de Xiong’An — que está sendo criada do zero como parte da visão do presidente chinês Xi Jinping em criar uma cidade inteligente, repleta das tecnologias mais recentes — já integrou a tecnologia na construção de infraestrutura e em outras iniciativas governamentais.
Hainan também foi considerado como uma das províncias mais favoráveis a blockchain na China, atraindo corretoras, como Huobi e OKCoin, para a operação de suas sedes na cidade.
Fonte: Money Times /  Por The Bloc / 30-06-2020

Obrigado pela sua visita e volte sempre!

quarta-feira, 10 de junho de 2020

Negativa pelo segundo mês, inflação tem queda de -0,38% em maio

Caros Leitores;

No acumulado de 12 meses até março o IPCA, medido pelo IBGE, teve alta de 1,88.
O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) passou a cair 0,38% em maio ante queda de 0,31% no mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira.
O resultado foi pressionado pela queda de 4,56% nos preços dos combustíveis.

Trata-se do menor índice desde agosto de 1998, quando ficou em -0,51%.

No acumulado de 12 meses até março, o IPCA teve alta de 1,88%, de 2,40% antes. Pesquisa da Reuters apontou que a expectativa de analistas era de recuo de 0,46% em maio, acumulando em 12 meses avanço de 1,80%.


Fonte: Revista Exame / Por Reuters / 10-06-2020


xame.com/economia/inflacao-fica-negativa-pelo-segundo-mes-e-tem-queda-de-038-em-maio/?utm_source=push_exame&utm_medium=pushnotification

Obrigado pela sua visita e volte sempre!

terça-feira, 2 de junho de 2020

Líder da Opep otimista que pior já passou em crise do petróleo

Caros Leitores;

A Opep está cautelosamente otimista de que o pior já passou na crise do petróleo provocada pela pandemia de coronavírus, disse a principal autoridade do grupo.
As perspectivas para o mercado no segundo semestre parecem mais animadoras com a expectativa de recuperação da economia global, disse Mohammad Barkindo, secretário-geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo. O cartel e aliados estão implementando rapidamente os cortes de produção, disse.
“Aqui na Opep, continuamos cautelosamente otimistas de que o pior já passou”, disse Barkindo em entrevista à TV Bloomberg de Viena na sexta-feira. “O que vimos em abril foi extraordinário”, mas os membros do grupo “aceitaram o desafio”.
A Opep+ vai analisar todas as opções quando se reunir novamente em junho, disse Barkindo. Os cortes da produção de 9,7 milhões de barris por dia iniciados em 1º de maio devem desacelerar gradualmente após dois meses. É prematuro dizer se o grupo pode decidir mudar esse plano, afirmou.
O cartel pretende avaliar o estado da economia global, a força da recuperação da demanda por petróleo e a evolução da pandemia de coronavírus nas discussões, disse Barkindo.
“O cenário para o segundo semestre do ano começa a parecer animador e positivo de que haverá uma recuperação”, disse.
Os membros do grupo têm implementando rapidamente os cortes, disse o secretário-geral. Com os cortes voluntários adicionais em junho anunciados pela Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Kuwait, além de reduções em outros países, incluindo os EUA, a oferta global total cairá 17,2 milhões de barris por dia, disse.


Fonte: Bloomberg 15 de maio de 2020 / Por Vonnie Quinn, Annmarie Hordern e Grant Smith.

https://www.bloomberg.com.br/blog/lider-da-opep-otimista-que-pior-ja-passou-em-crise-do-petroleo/
Obrigado pela sua visita e volte sempre!

Custo de vida em todo o mundo 2020

Caros Leitores;


Assim como na Pesquisa Mundial sobre Custo de Vida do ano passado, e pela segunda vez em 30 anos, três cidades dividem o primeiro lugar como a cidade mais cara do mundo para morar. Como no ano passado, Hong Kong e Cingapura continuam ocupando duas dessas cidades. locais. No entanto, este ano também marca mudanças, com uma cidade japonesa, Osaka, subindo três lugares para se juntar a Hong Kong e Cingapura no topo do ranking da The Economist Intelligence Unit. Osaka substitui Paris, que cai para o 5º lugar, igual a outra cidade européia, a Suíça de Zurique.

https://www.eiu.com/n/campaigns/worldwide-cost-of-living-2020#mktoForm_anchor


Fonte:  The Economist / 02-06-2020

Obrigado pela sua visita e volte sempre!

Crises de dívida soberana estão chegando

Caros Leitores;


RELATÓRIO DA UNIDADE DE INTELIGÊNCIA ECONOMISTA

A pandemia de coronavírus é um divisor de águas para a economia global. Os anos 2020 e 2021 serão anos perdidos para o crescimento. A Economist Intelligence Unit espera apenas que o PIB global se recupere aos níveis pré-coronavírus em 2022. O combate à pandemia exigirá esforços fiscais extraordinários, à luz da menor receita fiscal e despesas sociais e de saúde muito mais altas. Os governos da maioria dos países desenvolvidos também concluíram que um aumento nas despesas públicas e, portanto, nos níveis da dívida pública, é preferível à destruição generalizada da capacidade produtiva durante a epidemia. Como resultado, os níveis da dívida pública aumentarão acentuadamente este ano.


Fonte:  The Economist / 02-06-2020

Obrigado pela sua visita e volte sempre!

sexta-feira, 29 de maio de 2020

Com pandemia e isolamento social, PIB encolhe 1,5% no primeiro trimestre

Caros Leitores;

O Produto Interno Bruto (PIB) nacional caiu 1,5% no primeiro trimestre de 2020, na comparação com o último trimestre do ano anterior, afetado pela pandemia do novo coronavírus e o distanciamento social. Em valores correntes, o PIB, que é soma dos bens e serviços produzidos no Brasil, chegou a R$ 1,803 trilhão.
Os dados são do Sistema de Contas Nacionais Trimestrais divulgado hoje (29) pelo IBGE. Em relação ao primeiro trimestre do ano passado, a economia recuou 0,3%.
A queda do PIB interrompe a sequência de quatro trimestres positivos e marca o menor resultado desde o segundo trimestre de 2015 (-2,1%). Com isso, o PIB está em patamar semelhante ao que se encontrava no segundo trimestre de 2012.
De acordo com a coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, a retração da economia foi causada, principalmente, pelo recuo de 1,6% nos serviços, setor que representa 74% do PIB. A indústria também caiu (-1,4%), enquanto a agropecuária cresceu (0,6%).
“Aconteceu no Brasil o mesmo que ocorreu em outros países afetados pela pandemia, que foi o recuo nos serviços direcionados às famílias devido ao fechamento dos estabelecimentos. Bens duráveis, veículos, vestuário, salões de beleza, academia, alojamento, alimentação sofreram bastante com o isolamento social”, explica.
Vídeo: https://youtu.be/lVjPv33T0hk

Nos serviços, destaque para os resultados negativos em outros serviços (-4,6%), transporte, armazenagem e correio (-2,4%), informação e comunicação (-1,9%), comércio (-0,8%), administração, saúde e educação pública (-0,5%), intermediação financeira e seguros (-0,1%). A única variação positiva veio das atividades imobiliárias (0,4%).
Já nas atividades industriais, a queda foi puxada pelo setor extrativo (-3,2%), mas também apresentaram taxas negativas a construção (-2,4%), as indústrias de transformação (-1,4%) e a atividade de eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (-0,1%).
“A construção civil está puxando sempre para baixo a parte da infraestrutura. O mercado imobiliário até que tem se recuperado, mas com o distanciamento social, em março, ficou um pouco prejudicado. Tanto que teve queda na ocupação no trimestre e também na fabricação dos principais insumos para a construção”, comenta.
Consumo das famílias tem a queda mais intensa desde 2001
Os efeitos da pandemia também influenciaram a queda de 2% no consumo das famílias. “Foi o maior recuo desde a crise de energia elétrica em 2001”, diz Rebeca, acrescentando que o consumo das famílias pesa 65% do PIB. O consumo do governo ficou praticamente estável (0,2%) no primeiro trimestre deste ano, mesmo patamar do último trimestre de 2019.
Os investimentos (Formação Bruta de Capital Fixo), por outro lado, cresceram 3,1%, puxados pela importação líquida de máquinas e equipamentos pelo setor de petróleo e gás. A produção nacional de máquinas e equipamentos e a construção caíram, observa Rebeca.
Já a balança comercial brasileira teve uma queda de 0,9% nas exportações de bens e serviços, enquanto as importações de bens e serviços cresceram 2,8%.
“As exportações foram bastante prejudicadas pela demanda internacional. Um dos países muito importantes para a gente que tem afetado nossas exportações é a Argentina. E a China também, que no primeiro trimestre foi o primeiro país a fechar as fronteiras, então as nossas exportações foram bastante afetadas”, encerra Rebeca.

Fonte:  IBGE / Editoria: Estatísticas Econômicas | Alerrandre Barros /29-05-2020

Obrigado pela sua visita e volte sempre!